Wednesday, February 17, 2010

Bem-vindos à realidade (II)

Ouvem-se muitos queixumes relativos ao cerceamento da liberdade de expressao levado a cabo pelo (des) governo do Sr. Sócrates. E volta e meia aparecem para aí uns quidans a tracar paralelos com o lápis azul do antigamente estado-novista. Convém fazer algumas distincoes: 1) no Estado Novo a censura era uma instituicao cuja existencia e funcionamento estavam definidos na Constituicao e nas leis, na actualidade abrilina - no regime das mais amplas liberdades - ela é considerada um horror sem perdao mas praticada à vontade clandestinamente; 2) no Estado Novo as limitacoes a liberdade de expressao impunham-se na defesa do bem-comum; no Portugal abrilino e, especialmente, socretino, a censura visa encubrir a corrupcao e as negociatas dos grupos que assaltaram o poder, i.e., tem por objectivo a proteccao do mal-comum.

2 Comments:

At 19 February, 2010 11:26 , Blogger FSantos said...

Um muito oportuno ponto de ordem.
Grande abraço.

 
At 19 February, 2010 18:33 , Blogger Euro-Ultramarino said...

Obrigado Caro Amigo!
É o tal bichinho blogosférico que anda a comichar...
Forte abraço.

 

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

<< Home