Thursday, February 15, 2007

Portugal "moderno"

Diziam as mentes muito sofisticadas que Portugal, para ser moderno, teria que desvencilhar-se do Trono e do Altar - e assim foi feito. Diziam os bem-pensantes que Portugal, para ser moderno, teria de "partir-se em partidos" e viver em permanente clima de guerra civil. Diziam os arautos da evolução que Portugal, para ser moderno, deveria ter o "bem" e o "mal" definidos pela aritmética. Diziam as criaturas muito evoluídas que Portugal, para ser moderno, teria de livrar-se de gentes e terras que eram parte integrante do corpo nacional, entregando-as ao comunismo soviético, ao custo do sangue de milhões de inocentes. Diziam os solícitos luminares que Portugal, para ser moderno, deveria abdicar da sua soberania e diluir-se em algo que dá pelo nome de União Europeia. Diziam incontáveis sumidades que Portugal, para ser moderno, deveria proceder à liquidação da agricultura, das pescas, da indústria. Diziam os de inteligência muito afiada que Portugal, para ser moderno, deveria reger-se segundo os interesses dos outros países. Diziam os de mentalidade muito evoluída que Portugal, para ser moderno, deveria liberar a tortura e a execução dos nascituros, inocentes e indefesos. E assim tem sido feito: com empenho, alegria e a certeza de um serviço bem prestado. Falta muito pouco para a plenitude.

2 Comments:

At 19 February, 2007 18:14 , Anonymous çamorano said...

Amigo Euro- ultramarino: disculpa por el off- topic, pero dada tu condición de experto "alfarrabista", y aprovechando que se celebra su centenario, te recomiendo la lectura de los libros de un hombre íntegro y cabal: Don EUGENIO VEGAS LATAPIE. Saludos.

 
At 19 February, 2007 23:01 , Blogger Euro-Ultramarino said...

Caro Çamorano:
Obrigado pela sugestão. Não conhecia-o. Vou tratar de encontrar.
Abr.

 

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

<< Home