Tuesday, November 25, 2008

Rir continua a ser o melhor remédio

Esta semana resolvi dedicar algum tempo à ficção, à comédia. E para uma combinação dos dois géneros nada como começar com o preâmbulo da Carta Magna da República Portuguesa.

A 25 de Abril de 1974, o Movimento das Forças Armadas, coroando a longa resistência do povo português e interpretando os seus sentimentos profundos, derrubou o regime fascista.

Libertar Portugal da ditadura, da opressão e do colonialismo representou uma transformação revolucionária e o início de uma viragem histórica da sociedade portuguesa.

Homessa! Julgava eu que tais coisas já teriam sido expungidas em algum lapso milagroso de honestidade intelectual... Mas não: a revisão de 2004, a sexta do regime cravícola, mantém o mimo esquizofrénico-paranóide. E o objectivo continua a ser abrir o caminho para uma sociedade socialista.

6 Comments:

At 26 November, 2008 17:57 , Anonymous Anonymous said...

Rir ou chorar... Esse engenho marxista está a levar Portugal para a ruína total. O socialismo só trouxe desgraças e já ninguém acredita em melhoras. Enquanto durar esse cancro ninguém espere vitalidade e dinamismo na sociedade portuguesa.
E vão 34 anos de lágrimas.

 
At 27 November, 2008 09:46 , Blogger Euro-Ultramarino said...

Certíssimo. Cumpre extirpar o maldito cancro ou o fundo do abismo será inevitável.

 
At 02 December, 2008 00:38 , Blogger Joaquim M.ª Cymbron said...

This comment has been removed by the author.

 
At 02 December, 2008 00:41 , Blogger Joaquim M.ª Cymbron said...

This comment has been removed by the author.

 
At 02 December, 2008 00:45 , Blogger Joaquim M.ª Cymbron said...

Pois, meu caro Marcos, esse preâmbulo não corresponde ao documento autêntico.

É claro que ninguém o pode censurar por isso. Esse é o texto que eles deram a público. Mas eu, que sou desconfiado, procurei e descobri o verdadeiro, que segue na versão integral:


A 25 de Abril de 1974, o Movimento das Forças Antiportuguesas, aproveitando a proverbial paciência do povo português e falseando os seus sentimentos profundos, derrubou o farsista do regime.

Procurar lançar Portugal na pior das ditaduras, na opressão e em colónia do estrangeiro representou uma transformação revolucionária e o início de uma traição histórica de que foi vítima a sociedade portuguesa.

A Revolução não restituiu aos Portugueses os direitos e liberdades fundamentais. No esbulho destes direitos e liberdades, os ilegítimos representantes do povo reúnem-se para elaborar uma aberração que facilitará os perigos que ameaçam o País.

A Assembleia Aberrante contraria a decisão do povo português de defender a independência nacional, de garantir os direitos fundamentais dos cidadãos e estabelece os princípios deletérios da democracia, assegura a catástrofe do Estado de Direito democrático e abre caminho para uma sociedade socialista no desrespeito do interesse do povo português, tendo em vista a construção de um país mais escravizado, mais injusto e mais carregado de ódios.

A Assembleia Aberrante, reunida na sessão plenária de 2 de Abril de 1976, aprova e decreta a seguinte Aberração da República Portuguesa.

 
At 03 December, 2008 17:48 , Blogger Euro-Ultramarino said...

Caro Joaquim,
Certíssimo! Essa sim é a que é a constituição REAL dos abrileiros para o pouco que sobra de Portugal. Justiça lhes seja feita: cumprem-na à risca. Obrigado por dá-la a conhecer.
Um abraço.

 

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

<< Home